28/09/2011

NO PHOTO!


Os primeiros dias que passei na capital da Mongólia foram quase sempre a passear - a ser turista!

Fui ver templos e mosteiros budistas, estátuas soviéticas, palácios de inverno, palácios de verão, mercados, museus com trajes tradicionais, objectos do tempo do Genghis Khan, animais embalsamados... e esqueletos de dinossauros. Uff! E ainda comi que nem um rei.

Foi exactamente no Museu de História Natural, onde estão os tais bicharocos dos bons velhos tempos, que aconteceu um dos episódios mais caricatos (e significativos) do meu primeiro dia em Ulaanbaatar.

Foi exactamente por ver na brochura do museu que havia excelentes esqueletos de dinossauros, decidi pagar um bilhete extra para poder tirar fotografias. Que bela reportagem vou fazer sobre a Mongólia Jurássica!














As primeiras salas estavam repletas de animais embalsamados e curiosidades vegetais e minerais. Muitas amostras, fósseis, alfinetes, autocolantes e classificações, tudo num estilo que remetia um pouco para os museus de alguns anos atrás - engraçado de ver... nos primeiros cinco - ok, dez - minutos.





















Mas eu quero é os dinossauros!

Quando finalmente entrei na primeira das salas dedicadas ao período jurássico, fiquei boquiaberto. Nunca tinha visto tal coisa! Saquei imediatamente da máquina, ainda com a respiração em sobressalto, liguei o botão no "on", foquei o enorme e medonho Tyrannosaurus Rex e...

"No photo!"

O quê?

Virei-me na direcção da voz: uma senhora com ar de professora primária - daquelas más, com os olhos semicerrados, os óculos na ponta do nariz, a régua a pouca distância.

"Mas eu comprei o bilhete extra."

"Não se pode tirar fotografias aos dinossauros. Nem com esse bilhete."

"M-mas..."

"No-pho-tos."

E se insistires ainda levas uma reguada.

Ou seja: vi o resto da exposição entre o frustrado, o furioso e outras palavras começadas por "f" que prefiro não escrever aqui. Há senhoras a ler este blog.

E quando cheguei ao fim, dirigi-me à bilheteira, preparado para discussões e debates intensos. Queria refilar, fazer saber que estavam errados, que deviam ter avisado, que eu só comprei o bilhete porque queria tirar fotos ao T-Rex e amigos! Fui lançado à senhora da bilheteira, pronto para dramatizar, arrancar cabelos, bater com os punhos no peito, lágrimas se for preciso:

"Eu quero o meu dinheiro de volta. Só comprei este bilhete por causa dos dinossauros e não é permitid..."

"OK."

E estende-me uma nota de não-sei-quantos não-sei-quês.

(não consigo decorar o nome da moeda da Mongólia...)

Em silêncio, quase envergonhado, aceitei o meu dinheiro e não tive coragem de explicar em mais aprofundado pormenor o porquê da minha insatisfação. E fui-me embora.

Estou, definitivamente, noutro país. Quem sabe, noutro universo.

Só mais uma coisa: no momento em que a senhora me gritou que não podia tirar fotos... eu já tinha carregado no botão. Assim sendo, fiquei com uma fotografia apenas, um registo da primeira de várias salas cheias de esqueletos, ossadas, fósseis, ovos, isto-e-aquilo - uma colecção fascinante de testemunhos destes seres fantásticos que "um dia reinaram na Terra". Fica então esse único registo:


4 comentários:

Clara Amorim disse...

Bem... Como diz o ditado, mais vale um dinossauro na máquina do que dois a voar!!!

Diogo disse...

http://aeiou.expresso.pt/saiba-quais-sao-as-cidades-mais-poluidas-do-mundo-fotogaleria=f676643
Depois de ler este artigo recomendava-te a usar uma daquelas máscaras para tapar a boca... Não vás inalar partículas gigantes e más!... Sempre a cuidar do irmão mais velho...

Joaninha disse...

Maninho quando falaste nas palavras começadas po "F" referias-te a Furioso, Furibundo, etc, certo????

Jorge disse...

@Joaninha: claro que sim! :)))

@Diogo: só tenho a agradecer a lista, porque agora já sei que UB afinal é a segunda mais poluída. Tenho de ir ao Irão ver a primeira, ahah.