20/09/2011

A FAMÍLIA TROMBAS E O ANJO
















No meu compartimento está uma família - pai, mãe e filho. São uma simpatia: no instante em que entrei e disse bom dia, levantaram-se e saíram. Nem pio, nem um sorriso, nada.

Aproveitei para espreitar os passaportes deles - o apelido é Trombas.

Não, a sério: será que sou eu que cheiro mal, ou sou muito feio, ou tenho mau hálito - qualquer coisa... começo a sentir-me mal com isto. Às vezes dá-me para rir, outras irrita-me, mas agora começo a pôr em causa... será que a culpa é minha? Eu sorrio, a sério que sorrio... eu bem que tento estabelecer contacto. Nada.

Aliás, a viagem entre Krasnoyarsk e Irkutsk foi quase toda uma espécie de jogo do gato e do rato: quando eu entrava a família Trombas saía, quando eu saía a família Trombas entrava. Quando eu sorria, a família Trombas virava a cara. A certa altura, estava eu no corredor, veio a provotnitza dar os lençóis e eles tiraram 3: um para o pai Trombas, outro para a mãe Trombas, e um ainda para o filhote Trombas - o Trombinahas. E deixaram-na ir embora, sem que ficasse um lençol para mim - tive de ir pedir depois, e até ela estranhou que não tivessem dito nada. Enfim: um amor de família, a família Trombas.

De manhã, fiz questão de não me levantar logo. Deixei-me na ronha umas boas horas, já que não havia espaço para conversa e interacção. A família Trombas tomou o pequeno-almoço entre sussurros, percebi que falaram de Portugal e do Cristiano Ronaldo - como é que sabem que sou de Portugal? Se calhar também vieram espreitar o meu passaporte. ;)

Quando finalmente me levantei, investi numa nova oportunidade. Talvez... por estarem curiosos... já sabem que sou de Portugal... e lá vou eu de sorriso e bons-dias... se calhar exagerei e não são assim tão maus... mas assim que lhes dirigi a palavra, viraram os focinhos para a janela e fingiram que não era nada. Eu sou só uma mosca irritante a zumbir aos ouvidos deles. Eu sou um ser repugnante e viscoso. Eu sou um monte de merda que convém não pisar. Eu dou azar. Eu. Não - não posso ser eu. Esta gente. E não digo mais nada.

Como a experiência na Rússia tem-me surpreendido, e quando parece que estou rodeado de anormais, aparece sempre um anjo. Prefiro acreditar que vem aí um anjo. Vou pedir ao Nosso Senhor que os tire daqui com um dos seus raios divinos e que me envie um anjo.

Nosso Senhor, tir...

Zás!!!

Entra um raio pela janela e pulveriza a família Trombas.

Obrigado, Nosso Senhor. És mesmo amigo. Agora só falta um anjo.

E nem foi preciso esperar muito, porque de repente entra um homem da minha idade, ainda mais mal cheiroso que eu, mais feio... e o hálito... Deus Nosso Senhor só me pode estar a pôr à prova. E eu não sou como eles.

O anjo entrou e eu sorri, recebi de resposta uma mão estendida. Aperto de mão e sorriso, uma boca cheia de ouro, tatuagens caseiras. Asas, nem vê-las. Caracóis loiros, nem pensar. Este anjo é muito peculiar. E começou a falar em russo, cheio de vontade de partilhar ideias sobre o estado do mundo e o porquê das coisas... eu tentei explicar que não falava a lingua e ele não se ralou, falou mais devagar, mais alto, fez caretas por eu continuar a não entender, e de repente fez algo inédito, algo que eu nunca tinha visto um único russo a fazer: linguagem gestual. Deu-se ao trabalho de tentar, com gestos, facilitar a compreensão do que eu dizia. E só por isso, tirei o guia da mochila e abri nas últimas páginas, onde havia um mini-dicionário.

As horas seguintes passámos em animada conversa, a tentar decifrar o que o outro dizia. Não deu para muito. Mas ao menos comunicámos. A dada altura escreveu-me um recado num papel e eu fiquei de o traduzir noutra ocasião - mas com uma condição: não podia mostrar a  nenhuma mulher, tinha de ser um homem a traduzir.

Imagino - este anjo saíu-me fresco, saíu.



7 comentários:

carla martins disse...

Ahhh povinho mais amorosoo, ...... feiiooosss

LV disse...

Não sei porque não ficou o meu comentário que fiz hoje de manhã.
Adorei esta família tão simpática .... e quanto ao anjo ..... MEDO !!!! É lindo este anjo :(. O que será que escreveu nesse famoso papel ....

Clara Amorim disse...

Isto vai de mal a pior...! Haja saúde e humor...

xana disse...

que sorriso de ouro que tem este teu anjo!!! :)

a questão é: o que está escrito no papel?!

Joaninha disse...

Desde que no papel não esteja escrito a morada do dentista....

Cristina Ribeiro disse...

Com o valor que o ouro tem actualmente, qualquer dia está desdentado! Hi! Hi! Hi!

Joao disse...

Tadinho Jorge-o-mal-cheiroso-viscoso-mosca-que-que-zumbe-repugnantemente, não os leves a mal, eles os seres-belos-elfos-siberianos-povo-puro-e-exemplar vivem na arrogância da sua perfeição. Valham-te os anjos, que são ainda mais especiais pelo contraste que fazem.
Já agora, gosto do contraste dos dentes, se o maxilar de cima foi incrustado com ouro, o maxilar de baixo é prata ou platina? ficou-me essa dúvida.