12/08/2014

SONG OF THE OPEN ROAD

Como é natural, repetiram-se hoje nas redes sociais as referências ao grito "Good Morning, Vietnam!", bem como ao poema que o falecido Robin Williams lê no filme "Clube dos Poetas Mortos".

A propósito disso, dei por mim a revisitar Walt Whitman, o autor desse "Oh Captain! My Captain!". Mas estive a ler outro poema. O meu preferido, do (pouco, infelizmente) que conheço deste genial americano.

Chama-se "Song of the Open Road" e tem sido uma referência pontual, quando estou em viagem, quando estou "para aí virado". Tinha-o guardado para um dia que fizesse sentido partilhá-lo aqui - e hoje parece-me ser relevante. Mas como é um poema longo, passo a transcrever apenas a parte inicial:

Afoot and light-hearted I take to the open road,
Healthy, free, the world before me,
The long brown path before me leading wherever I choose.

Henceforth I ask not good-fortune, I myself am good-fortune,
Henceforth I whimper no more, postpone no more, need nothing,
Done with indoor complains, libraries, querulous criticisms,
Strong and content I travel the open road.

The earth, that is sufficient,
I do not want the constellations any nearer,
I know they are very well where they are,
I know they suffice for those who belong to them.

(Still here I carry my old delicious burdens,
I carry them, men and women, I carry them with me wherever I go,
I swear it is impossible for me to get rid of them,
I am fill'd with them, and I will find them in return.)

3 comentários:

VAires disse...

Fantástica escolha, parece a companhia ideal para aventuras mais ousadas!

A. Vagamundos disse...

Quem fala assim...

Clara Amorim disse...

Que bonita escolha! :)