05/03/2014

OUTRO SONHO


A propósito de sonhos:

Já não é a primeira, nem a segunda, nem a terceira vez, mas na semana passada apareceu-me o Cristiano Ronaldo num sonho. Às vezes acontece-me. E sempre que o famoso jogador do Real Madrid aparece, dá-me conselhos, transmite energia positiva, incentiva-me a lutar, etc. O CR7 tem, normalmente, um papel paternalista, ou de conselheiro. Vá-se lá entender os sonhos.

Mas esta sua última aparição foi diferente. Neste sonho, estávamos ambos numa varanda de um hotel de cinco estrelas em Marrocos. A arquitectura fazia-me lembrar o CCB. Connosco estavam dois velhotes, penso que um deles era o Blatter, aquele da FIFA, mas não tenho a certeza. O outro não me consigo lembrar.

No sonho, eu estava de mochila às costas - e o Cristiano parecia fascinado com isso. Dizia-me que o seu sonho era viajar à aventura, que tinha uma tristeza enorme em nunca ter partido pelo mundo, que agora tinha uma vida muito ocupada e que provavelmente nunca poderia viajar assim. Mas eu respondi-lhe que não - que, se quisesse, podia tirar algum tempo e viajar

"Sim", diziam-lhe os velhotes, "Parte à aventura, vai viajar, podes ir passar uns dias até Ibiza, ou Marbella..."

Mas ele olhava para mim com cara de "eles-não-nos-entendem" e abanava a cabeça de um lado para o outro, e depois explicava aos velhotes que não queria esse tipo de viagem, que o seu sonho era ir à aventura, viajar de mochila na Ásia, etc.

Entretanto os velhotes foram embora, nós estávamos a conversar sobre viagens quando um telefone começou a tocar.

"É o teu?", perguntei-lhe.

"Não... eu deixei o meu a carregar, no quarto."

E então percebi que havia um telemóvel no muro, a vibrar e a tocar - e de repente percebi que aquilo era uma bomba.

"Corre!!!", gritei para o Ronaldo.

Desatámos os dois a fugir, por um corredor, e então uma explosão enorme destruiu tudo atrás de nós. À Hollywood, com uma bola de fogo em pano de fundo, nós a correr e eu apavorado, "mas o que é isto?"

Continuámos a correr por corredores e salas iluminadas com luzes de neon, mas vá-se lá perceber porquê, o CR7 começou a insistir que tinha de ir pagar a conta do quarto, eu a responder que não era tempo para fazer isso, "deixa estar, depois vens cá pagar, agora temos de fugir porque alguém te quer matar, é uma boa oportunidade para desapareceres, se quiseres fazes agora a viagem que querias fazer", mas ele insistia que queria pagar a conta do quarto, que não podia fugir sem pagar.

"Tu és o Cristiano Ronaldo", dizia eu, "alguém há-de ir lá pagar por ti, o teu agente ou outra pessoa, não te preocupes, e se ninguém for vais lá tu depois, mas agora foge e salva a tua vida!"

Mas ele não me ouvia, estava obcecado com a ideia de pagar o quarto, e não houve como convencê-lo do contrário. Tive de o acompanhar à recepção do hotel - que entretanto era o Marina Bay Sands de Singapura - e então entregou o seu cartão de crédito para pagar o quarto... mas devo ter acordado, porque não me lembro de mais nada.

2 comentários:

Clara Amorim disse...

Muito bom...! ;)

Joaninha disse...

Gostei do teu sonho, com o CR7 nunca sonhei mas quando era pequenina sonhava varias vezes que o Brian Adams era o meu pai....