28/12/2013

VIAJAMOS?

Como gosto de ditados, provérbios e dizeres populares, aproveito a quadra para lembrar que "Natal é sempre que um Homem quiser", e que "mais vale tarde que nunca".

Assim sendo:

Feliz Natal!

;)

Eu sei: 28 de Dezembro. Mas isto de estar num fuso diferente, por muito que o jet lag já tenha passado, e por muito tempo que se passe por cá... ;)

Espero que o Natal tenha sido santo e farto; e que o ano que está prestes a começar traga felicidade, serenidade, muitas aventuras e emoções fortes, realização pessoal. Que o caminho seja caminhado, que as voltas nos levem a lugares inesperados, a pessoas que nos marquem, a momentos e sensações e sorrisos vários.

E mesmo a propósito destes votos e da época, eis que a minha amiga Maria José me enviou um poema maravilhoso - já o tinha lido, nem me lembro quando, há muito tempo que não revisitava estas palavras tão sábias e inspiradoras.

Viajamos?

Cá vai:

Quando começares a tua viagem para Ítaca,
reza para que o caminho seja longo,
cheio de aventura e de conhecimento.
Não temas monstros como os Ciclopes ou o zangado Poseidon:
Nunca os encontrarás no teu caminho
enquanto mantiveres o teu espírito elevado,
enquanto uma rara excitação agitar o teu espírito e o teu corpo.
Nunca encontrarás os Ciclopes ou outros monstros
a não ser que os tragas contigo dentro da tua alma,
a não ser que a tua alma os crie em frente a ti.
Deseja que o caminho seja bem longo
para que haja muitas manhãs de verão em que,
com quanto prazer, com tanta alegria,
entres em portos que vês pela primeira vez;
Para que possas parar em postos de comércio fenícios
para comprar coisas finas, madrepérola, coral e âmbar,
e perfumes sensuais de todos os tipos -
tantos quantos puderes encontrar;
e para que possas visitar muitas cidades egípcias
e aprender e continuar sempre a aprender com os seus escolares.
Tem sempre Ítaca na tua mente.
Chegar lá é o teu destino.
Mas não te apresses absolutamente nada na tua viagem.
Será melhor que ela dure muitos anos
para que sejas velho quando chegares à ilha,
rico com tudo o que encontraste no caminho,
sem esperares que Ítaca te traga riquezas.
Ítaca deu-te a tua bela viagem.
Sem ela não terias sequer partido.
Não tem mais nada a dar-te.
E, sábio como te terás tornado,
tão cheio de sabedoria e experiência,
já terás percebido, à chegada, o que significa uma Ítaca.

"Ítaca"
de Konstantino Kavafy
traduzido por Jorge de Sena


3 comentários:

Clara Amorim disse...

Obrigada, Jorge!
Para ti também, muitas e muitas viagens...
E o post está fantástico!!! :)

Ana Gil disse...

Reler Kavafy é sempre um bom motivo para viajar além.

Também tu, já encontraste a tua Ítaca?

~

agrades disse...

Um sábio poema.
AIDA GRADES