24/10/2004

MUDANÇA DE ARES

Duas semanas depois, fui dar uma volta.

Nao, nao estou farto de Bombaim - das jantaradas, das idas ao cinema, ao teatro ou a exposicoes de pintura. Nem das sessoes de bowling, das noitadas de karaoke, dos passeios familiares em Juhu Beach. Nao!, nao estou farto das festas nem das noites mais calmas, ah conversa ate as tantas em casa de alguem. A rotina de Bollywood tem qualquer coisa que agarra, nao me perguntem o que. E nao sao so os programas, mas tudo ah volta: as combinacoes e as mudancas de planos ah ultima da hora, todos os imprevistos, as muitas idas e vindas de riquexo - adoro.

Nestes ultimos 9 dias celebrou-se o Navrati, toda a India estava em festa, e la fui eu trajado a rigor para a danca dos pauzinhos, milhares de pessoas em conjunto a celebrar nem sei bem o que, aqui ha sempre motivos para festejar. E quando acabou o Navrati, foi feriado nacional para uma especie de ano novo, nao sei bem o que. Pelo meio houve um Festival da Forca Aerea, em Marine Drive, com os avioes a fazer acrobacias e a razar a multidao de 500 mil pessoas; houve eleicoes e "dias secos"; mataram um dos maiores terroristas da India, numa troca de tiros na selva; estrearam mais nao-sei-quantos filmes novos; acompanhei as filmagens de outros tantos... a India nao para, Bombaim muito menos, e a rotina de Bollywood baseia-se numa especie de "imprevistos previsiveis". Ou seja, nao contes com nada, porque tudo pode acontecer.

Mas como estava a dizer quando comecei, resolvi ir dar uma volta. Deixei Bombaim por uns dias, estou agora em Jaipur, que tambem nao eh grande novidade para mim - no ano passado vim aqui umas quatro ou cinco vezes. Cheguei ontem e tenho estado com o Ishak e Cia. (Manel, Kamal e Foca, abracos para todos!), amanha provavelmente vou para Mount Abu ou outro sitio qualquer no Rajastao. O meu plano inicial era ir mais para cima, para Manali, Dhramasala ou Armitsar, mas parece que o tempo esta pessimo por la, nao vale a pena, tenho de deixar para outra oportunidade.

Ontem ah noite fui ver um filme de terror indiano, uma mistura do "The Others" com o "Shining" e o "Sexto Sentido"... e ainda uma pitada do "Thriller" do Michael Jackson. Um fartote, portanto. Mas com muitos sustos a mistura, acreditem. Eu estava chocado com os pais e maes que traziam as criancinhas para este tipo de filmes, nao sei como eh que eh possivel... ate bebes de colo havia na sala, e obviamente com tantos gritos e sustos e efeitos sonoros, as criancas passaram a sessao a chorar. Mas o melhor foi quando o filme parou a meio, acenderam-se as luzes e apareceram alguns actores do filme, a perguntar se estava toda a gente a gostar da historia, se estavamos com medo, e depois ainda cantaram uma musica ao vivo, a capella, para promover um filme que vai estrear pra semana. E depois retomou-se normalmente com o filme... e viva Bollywood!!!

2 comentários:

Foca disse...

De viajantes para viajante,

Depois de uma noitada valente ate as sete da manha acordamos por volta do meio-dia. Ao segundo dia ja nao estranhamos as pessoas nuas na sala e na piscina do nosso hostel. Como os vapores da noite ainda se fazem sentir comecamos o dia com um mergulho (com calcoes claro). Seguiu-se um pequeno almoço principesco, onde o doce de leite assume lugar de destaque, na companhia de um casal, ele brasileiro e ele Argentino. Dois eles portanto...mas muitos simpaticos.

Saimos e apanhamos o taxi em direcçao a S. Telmo. Aos domingos as ruas deste bairro historico da cidade sao ocupadas por uma feira de velharias, artesanato, artistas de rua, orquestras e claro tango, muito tango.

Completamente loucos pela atmosfera entramos numa tasca tipica para almocar. Velha, suja mas com um encanto dificil de imaginar. O Sergio traz-nos umas empanadas de frango antes de um gigante naco do lombo, ca da terra claro!! Por mais que os dias passem nao nos habituamos ao tamanho dos bife. Para sobremesa mais doce de leite, claro!! Ou por cima de um pudim, de um bolo, ou simplesmente sozinho..

Paga a cuenta (16 pesos - 4 euros) partimos a descoberta de S. Telmo. Sucedem-se os patios, becos, jardins interiores, ruas estreitas com predios a cair e de cair para o lado!! Tudo muito velho, tudo com muito charme, tudo com muita vida. Vasculhamos as centenas de bancas, entramos em dezenas de lojinhas...paramos para conversar com dois velhos da loja de fotografis, que jà estiveram em Lisboa. A conversa dura mais de meia hora..elas aproveitam e vao ler o tarot na loja ao lado..

Entretanto sao quase seis da tarde e S. Telmo nao cansa, inumeras espalanadas na rua ou em varandas no primeiro andar, pedem para que nos sentemos para desfrutarmos ainda mais..Apesar de o ambiente arrepiar temos que seguir em direcao a La Boca, o bairro do Tango. Sao quase dois quilometros para chegar.

Atarvessamos uma das zonas mais pobres da cidade. O Boca Juniores - Independiente acaba e cruzamo-nos com milhares e milhares de pessoas que saem do estadio..todos com a camisola do Boca..

Andamos mais rapido, principlamente quando passamos pelos grupos de 20 e 30 miudos que deixam o estadio a caminho das ruelas interiores do bairro. Finalmente chegamos a El Caminito. Um dos cafes de Tango mais emblematicos, situado no meio de uma rua de casas de todas as cores. Danca-se tango porta sim porta sim.

Paramos para ver, ouvir...sentamo-nos e pedimos uma canha enquanto vemos o sol que pinta as casas coloridas de dourado, desaparecer..Na parede os grandes dancarinos de outros tempos olham para nos...

Sao oito da noite..apanhamos um Taxi de volta ao Hostel..descancamos, saimos para jantar..voltamos p descansar. Amanha deixamos Buenos Aires em direcçao â Patagónia...

Foca e Diogo Vassalo

Buenos Aires
31/10/2004

Jorge disse...

Dois portugueses em Buenos Aires, um em Bombaim... e aqui estamos a trocar historias de viagem num espaco virtual, em Portugues.

Foca e Diogo, aproveitem ao maximo esse passeio - por mais que adore estar aqui, quem me dera poder partilhar esses momentos argentinos convosco. Divirtam-se que eu vou fazer o mesmo.