12/10/2004

AINDA NAO VI VACAS

Mentira: vi uma. Apenas uma - mas onde eh que estao afinal as suas santidades, que no ano passado via por todo o lado, a dormir no meio da estrada ou pacatamente a conversar umas com as outras? Se calhar ando distraido, mais concentrado nas festas e almocaradas, nas filmagens, nos jantares. Se calhar sou eu que ja estou a ficar habituado. Mas isso sao outras historias. Por agora, quero apenas que fique aqui registado: ao terceiro dia em Bombaim, ainda so vi uma vaca na estrada.

Nao tenho muito que contar, ainda. A nao ser as loucuras que sao normais neste cantinho tao especial do mundo. O drama familiar da irma de um amigo meu, que se divorciou e agora tem a familia a massacra-la para voltar para o marido, que a tratava abaixo de cao, tudo em nome da imagem; a comedia que eh a familia de outra amiga, o pai tinha uma loja de vinhos e supostamente eh um expert, mas nem sabia o que era um vinho do Porto, e no fim das contas ate tinha um em casa... no frigorifico! E a tia gorda, gordissima, que me esta sempre a fazer olhinhos e que, segundo os meus amigos, gosta de rapazinhos mais novos... que medo! Muito medo! E o empregado nepales, que nao fala uma palavra de ingles e quer que eu o leve para Portugal. E as aventuras de ainda outra amiga, que esta em Jakarta a trabalhar este mes e anda a ser interrogada pela Interpol, porque parece que o patrao indonesio eh um mafioso do pior. Enfim, nada como voltar a este mundo maravilhosamente louco.

E como ja deve ter dado para perceber, aqui nada de acentuacao. Acabou-se o bom portugues, nada de chapelinhos e til, esquecam as cedilhas e outras mariquices ortograficas. Lembrei-me de pelo menos facilitar um bocadinho com o "e" e o "eh", aceitam-se outras sugestoes.

1 comentário:

mãe disse...

Atenção Jorge com a tia gorda do teu amigo, nada de envolvimentos esquisitos ......